A árvore da vida

“…seria ousadia imaginar que, no grande período de tempo em que a Terra começou a existir, talvez milhões de anos atrás(…) que todos os animais de sangue quente tenham surgido a partir de um filamento vivo (…) e, dessa forma, possuem a faculdade de continuar a se aprimorar por sua atividade inerente e também de passar esses aprimoramentos de suas gerações para as seguintes, em um processo sem fim? (…) podemos conjecturar que um único filamento vivo é e tem sempre sido a causa de toda vida orgânica?”

— ERASMUS DARWIN
ZOONOMIA OR THE LAWS OF ORGANIC LIFE, 1794

O processo de evolução produz um padrão de relacionamentos entre espécies, ligações biológicas entre indivíduos e gerações, muitas vezes graficamente representado na figura da árvore. Como ciência, a genealogia é o mapa dessas ligações e auxilia a História no estudo da origem da vida. A árvore da vida é um símbolo sagrado em diferentes culturas. De formas distintas, registra a relação entre o céu e a terra, onde as folhas e os ramos se multiplicam e amadurecem e o tronco e as raízes sustentam a permanência desses movimentos. Um símbolo representativo da imortalidade, fecundidade e criação.

 

Bordado 2019 | Alessandra Vilela | Bordado a mão inspirado no cladograma de Darwin ""Em A Origem das Espécies"
Pintura de Árvore da vida no interior do Palácio Shaki Khan
Pintura de Árvore da vida no interior do Palácio Shaki Khan, no Azerbaijan National Art Museum | 2013 | Urek Meniashvili | CC BY-SA 3.0
Ilustração da árvore Pedigree do Homem
Pedigree of Man | 1897 | Ernst Haeckel
Ilustração da árvore Astrocarpus Integrifolia, popularmente conhecida como jaqueira
Astrocarpus Integrifoglia | 1840 | Karl Friedrich P. von Martius | Em: Flora Brasiliensis | Coleção: Biblioteca Barbosa Rodrigues - JBRJ
Ilustração da Árvore da vida com 3.000 espécies, com base em sequências de RRNA
Árvore da vida | ~3,000 Species, based on RRNA sequences | David M. Hillis, Derrick Zwickl e Robin Gutell | Coleção: University of Texas
Capa do livro: Filosofia Zoológica
Capa do livro: Filosofia Zoológica vol. 1 | 1809 | Jean Baptiste Lamarck
Ilustração da Árvore evolutiva
Árvore evolutiva | 1809 | Lamarck, Jean Baptiste | Em: Philosophie zoologique vol. 1
Ilustração da grande cadeia dos seres
A grande cadeia dos seres | 1579 | Didacus Valdes
Ilustração da árvore da vida cabalística
A árvore da vida cabalística | 1979 | Em: The Bahir: An ancient Kabbalistic text attributed to Rabbi Nehuniah ben HaKana, first century, C. E., Aryeh Kaplan trans., First edition, 1979, Samuel Weiser, New York
Ilustração da árvore dendezeiro
Elaeis guineensis | 1897 | Franz Eugen Köhler | Coleção: Köhler's Medizinal-Pflanzen
Ilustração do Gráfico Paleontológico
Gráfico Paleontológico | 1840 | Edward Hitchcock | Em: Elementary Geology
Ilustração da Árvore Genealógica
Árvore Genealógica | 1874| Ernst Haeckel | Coleção: Biblioteca Central do Museu Nacional
Ilustração Utriusque Cosmi
Utriusque Cosmi | 1617 | Robert Fludd | Coleção: CC BY Wellcome Images
Ilustração da árvore da vida Yggdrasil
Yggdrasil | 1847 | Oluf Bagge
Ilustração da árvore moral
A árvore moral | 1505 | Ramon Lull
Ilustração do livro
Ilustração do livro "Esboços de fisiologia comparativa tocando a estrutura e desenvolvimento das raças de animais, vivos e extintos" | 1851 | Louis Agassiz e A. A. Gould | Coleção: Royal College of Physicians in Edinburgh
Ilustração da Escada dos seres vivos
Escada dos seres vivos |1745 | Charles Bonnet | Em: Traité d'insectologie
Ilustração de uma espécie de alga vermelha
Amphiroa algae | 1867 | espécime coletado por Charles Darwin | Coleção: Herbarium Hookeranium | Natural History Museum, London
Ilustração da Árvore Paleontológica dos Vertebrados
Árvore Paleontológica dos Vertebrados | c. 1879 | Ernst Haeckel
Página do caderno de Darwin
Uma página do caderno de Darwin mostrando o primeiro diagrama de árvore evolutiva | 1837 | Charles R. Darwin | Coleção: Wyhe, John van ed., 2002- The Complete Work of Charles Darwin Online (http://darwin-online.org.uk/)
Ilustração da Árvore Genealógica
Árvore Genealógica | 1868 | Ernst Haeckel
Ilustração da árvore Baobá
Baobá | 1833 | Em: Dicionário pitoresco de história natural e fenômenos da natureza | Coleção Natural History Museum Library

“As afinidades entre todos os seres da mesma classe têm sido algumas vezes representadas por uma grande árvore. Acredito que essa comparação fale basicamente a verdade.”
— CHARLES DARWIN
A Origem das Espécies, 1859

“A árvore da vida deveria ser chamada o coral da vida.”
— CHARLES DARWIN
Notebook B, 1837

 

A inspiração para a “Árvore da Vida” de Charles Darwin não foi propriamente uma árvore, mas um coral. O organismo vivo que serviu de modelo para o novo conceito de Darwin, resumido sob o termo “pensamento de árvore”, é semelhante a um coral, mais tarde identificado como uma alga vermelha (Bossea orbignyana).

O QUE É CLADOGRAMA?
A cada geração, centenas de milhares de mutações aparecem em uma espécie. Quando uma delas começa a prevalecer por apresentar uma vantagem para a sobrevivência no ambiente, essa linhagem começa a se diferenciar até se tornar uma nova espécie. A ciência encontrou uma forma de anotar esse processo de maneira gráfica, quando olhamos do ponto de vista temporal – o Cladograma. “Clados” é um radical grego que significa “Ramo”, então, como o próprio nome diz, cada bifurcação na linha evolutiva, é um novo ramo da árvore evolutiva daquele grupo.

LENDO CLADOGRAMAS

A ciência experimentou muitas formas diferentes de representar o processo de evolução das espécies, até que chegasse ao modelo atual, onde o tronco se divide em dois ramos por vez. Se olharmos com calma, poderemos ver que ramos próximos guardam uma origem em comum – um ancestral comum. Esse ancestral possuía características que podem ser encontradas em espécies distintas, mesmo que as espécies sejam muito diferentes entre si hoje em dia. Já notou que, por mais que nós, os humanos, temos o mesmo número de membros que as girafas, tigres ou mesmo os jacarés e sapos? Isso porque nosso ancestral comum, uma espécie de peixe, apresentou essa diferenciação de partes do corpo. Chamamos popularmente de Elo Perdido esses seres que guardam características comuns entre duas espécies que nós conhecemos, mas este termo não é científico, pois ele encerra a evolução no momento atual, quando, sabe-se, a Evolução é um processo infinito.

Jean-Baptiste De Lamarck

Um dos primeiros a explicar a origem da vida através de um diagrama de árvore, o naturalista francês Jean-Baptiste de Lamarck propôs, em 1809, cinquenta anos antes de A Origem das Espécies de Darwin ser publicada, o princípio da transformação gradual das espécies.
Lamarck defendia que existiam gerações espontâneas de formas “primitivas” de vida na Terra e que, mais tarde, esses seres vivos se transformariam em animais “superiores” durante a história do nosso planeta. Sua teoria seria comprovada como equivocada, anos depois.

00:00

Para uma melhor experiência, navegue com a tela na horizontal.

Para uma melhor experiência, navegue com a tela na vertical.